Tecnologia, Ciência, Cultura e Notícias. Wasim Syed. Ribeirão Preto, São Paulo.
Background Illustrations provided by: http://edison.rutgers.edu/
A questão da Líbia, por Sandrodavidovitch 
Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011
Fonte: Sandrodavidovitch
A questão da Líbia é bem diferente daquela que foi encontrada no Egito. O ditador kadafi vem reprimindo as manifestações com extrema violência. Os manifestantes opositores já tomaram as cidades mais importante da Líbia e já estão próximo da Capital Tripole. Na capital Trípole Kadafi vem montando uma verdadeira estrutura de guerra pra se defender que segundo o próprio falou só sai da Líbia morto. Muammar al-Khaddafi, Moammar Gadhafi, Muammar al-Qadhafi, Mu’ammar Al-Qadhafi, Muammar al-Khadafi. São várias as formas de escrever o nome do ditador líbio devido o seu nome ser assinado sempre em árabe e nunca escrito em lingas ocidentais.
Quando kadafi assumiu o poder da Líbia ele mandou retirar da Líbia todos os americanos vindos através da aliança entre Idris I antigo rei líbio e os EUA, fechou as danceterias, bordéis e bares trazidos pelos americanos, impondo à toda Líbia respeito aos preceitos e morais do islamismo, proibiu a exportação de petróleo para os EUA e confiscou propriedades internacionais.





Kadafi começou a patrocinar e apoiar todos grupos, países e facções anti-americanas/israelenses de que tinha conhecimento, entre eles os Panteras Negras, o Fatah e alguns países do Oriente Médio, tentando dar continuidade ao trabalho de Nasser (Antigo líder egípcio), que tanto admirara. Inclusive Kadafi teve ligação direta com o massacre de Munique, que ocorreu durante a realização dos jogos Olímpicos no dia 5 de setembro de 1972, patrocinando e dando cobertura ao grupo que ficou conhecido como Setembro Negro. Onze atletas israelenses foram assassinados nesse episódio.
Após sua mulher e sua filha morrerem em um bombardeio americano a Trípoli, Kadafi se distanciou superficialmente de suas alianças com grupos terrorista.Hoje a Europa é umas das grandes favorecidas pelo petróleo vindo da Líbia ,apesar das sanções americanas que foram abrandadas depois que o Líder mostrou-se arrependido pelos atos terroristas e de ter assumido vários deles. Hoje a Líbia é um dos grandes parceiros comerciais da Europa e principalmente da Itália.A Líbia sempre que foi governada por essa ditadura e o mundo nunca interviu em nada, pois não queria perder sua parceria devido a grande produção petrolífera das terras de Kadafi, como a opinião mundial está contra o ditador Kadafia, as potências europeias e principalmente os EUA começam a afiar seus discursos contra o ditador, assim como ocorreu com o Egito, quando os EUA sempre aliado do Egito, simplesmente mudou de opinião depois da queda do ditador, tudo isso por interesses comerciais, assim como os EUA e as grandes potências capitalista da Europa, eles só apoiam quem faz  jus aos seus interesses para continuar lucrando cada vez mais.A queda de Kadafi é uma questão de tempo, mais o futuro do pais é incerto, ninguém sabe qual vai ser a posição do pais e nem por quem será governado ainda.

A questão da Líbia, por Sandrodavidovitch

Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

Fonte: Sandrodavidovitch

A questão da Líbia é bem diferente daquela que foi encontrada no Egito. O ditador kadafi vem reprimindo as manifestações com extrema violência. Os manifestantes opositores já tomaram as cidades mais importante da Líbia e já estão próximo da Capital Tripole. Na capital Trípole Kadafi vem montando uma verdadeira estrutura de guerra pra se defender que segundo o próprio falou só sai da Líbia morto.

 
Muammar al-Khaddafi
Moammar GadhafiMuammar al-QadhafiMu’ammar Al-QadhafiMuammar al-Khadafi
São várias as formas de escrever o nome do ditador líbio devido o seu nome ser assinado sempre em árabe e nunca escrito em lingas ocidentais.

Quando kadafi assumiu o poder da Líbia ele mandou retirar da Líbia todos os americanos vindos através da aliança entre Idris I antigo rei líbio e os EUA, fechou as danceterias, bordéis e bares trazidos pelos americanos, impondo à toda Líbia respeito aos preceitos e morais do islamismo, proibiu a exportação de petróleo para os EUA e confiscou propriedades internacionais.
Kadafi começou a patrocinar e apoiar todos grupos, países e facções anti-americanas/israelenses de que tinha conhecimento, entre eles os Panteras Negras, o Fatah e alguns países do Oriente Médio, tentando dar continuidade ao trabalho de Nasser (Antigo líder egípcio), que tanto admirara. Inclusive Kadafi teve ligação direta com o massacre de Munique, que ocorreu durante a realização dos jogos Olímpicos no dia 5 de setembro de 1972, patrocinando e dando cobertura ao grupo que ficou conhecido como Setembro Negro. Onze atletas israelenses foram assassinados nesse episódio.
Após sua mulher e sua filha morrerem em um bombardeio americano a Trípoli, Kadafi se distanciou superficialmente de suas alianças com grupos terrorista.

Hoje a Europa é umas das grandes favorecidas pelo petróleo vindo da Líbia ,apesar das sanções americanas que foram abrandadas depois que o Líder mostrou-se arrependido pelos atos terroristas e de ter assumido vários deles. Hoje a Líbia é um dos grandes parceiros comerciais da Europa e principalmente da Itália.
A Líbia sempre que foi governada por essa ditadura e o mundo nunca interviu em nada, pois não queria perder sua parceria devido a grande produção petrolífera das terras de Kadafi, como a opinião mundial está contra o ditador Kadafia, as potências europeias e principalmente os EUA começam a afiar seus discursos contra o ditador, assim como ocorreu com o Egito, quando os EUA sempre aliado do Egito, simplesmente mudou de opinião depois da queda do ditador, tudo isso por interesses comerciais, assim como os EUA e as grandes potências capitalista da Europa, eles só apoiam quem faz  jus aos seus interesses para continuar lucrando cada vez mais.
A queda de Kadafi é uma questão de tempo, mais o futuro do pais é incerto, ninguém sabe qual vai ser a posição do pais e nem por quem será governado ainda.